Ditadura

From eRepublik Official Wiki
Jump to: navigation, search
Languages: 
EnglishIcon-English.png
Bahasa IndonesiaIcon-Indonesia.png
ItalianoIcon-Italy.png
Portugues BrasileiroIcon-Brazil.png
УкраїнськаIcon-Ukraine.png


 Verdadeiramente, a Tirania não se originou de nenhum outro governo senão da democracia, seguindo-se a liberdade extrema, penso eu, uma extrema e cruel servidão. 
(A República, Platão, 480 A.C./A.E.C.)

Dictatorship.png

Golpe Militar – Fase de Preparação

O comandante de uma unidade militar poderá tentar um golpe militar no país onde estiver estiver localizada a unidade. Os seguintes requerimentos tem de ser atendidos para se dar início a um golpe militar:

  1. 1,000,000 ou mais de moedas na conta da unidade militar (o valor inicial).
  2. O país ter ao menos uma região restante.
  3. A capital atual não está sob ataque.
  4. O país não possuir um ditador no governo.
  5. Não ter havido uma revolução bem-sucedida nos últimos 10 dias.

Se todas as condições forem cumpridas, 1,000,000 serão deduzidas da conta da Unidade Militar e um “período de apoio” começará. Esse período durará 3 horas, durante o qual outras unidades militares poderão apoiar o golpe. A decisão de apoiar estará nas mãos dos comandantes, sendo livre a ação de apoiar. Se a unidade militar não der seu suporte ao golpe militar, ela estará automaticamente preparada para lutar pelo atual governo e pela democracia.

Nota: Se o golpe militar não for vitorioso, 24 horas devem se passar até que uma nova tentativa possa ser feita no país.

A Campanha pelo Golpe Militar

O lado do golpe em uma batalha campal será marcado com espadas vermelhas.

Após as 3 horas do período de apoio, a campanha pelo golpe será iniciada na capital do país. Teremos então dois lados:

  • O lado atacante: São os apoiadores do golpe militar. Todos os membros das unidades militares que deram seu suporte ao golpe durante o período de apoio.
  • O lado defensor: São os apoiadores do atual governo e da democracia. Todos os civis com cidadania do país, e os membros das unidades militares que não deram seu suporte ao golpe durante o período de apoio.

Para lutar em uma campanha pelo golpe, os jogadores terão de estar localizado na capital do país e ser parte de um dos lados mencionados. Mudanças de localização, de cidadania ou de unidade militar poderão ser feitas durante uma campanha pelo golpe militar. Em outras palavras, jogadores são livres para deixar ou se juntar as unidades militares que eles quiserem, ou livres para mudar suas cidadanias, podendo dessa forma lutar do lado que eles desejarem.

As campanhas por golpes militares funcionarão da mesma forma que as campanhas normais: 94 pontos serão requeridos para uma vitória. A única diferença grande aqui, como mencionado acima, será que nem todo mundo pode lutar nesta campanha.

Dependendo do resultado, o Ditador poderá assumir ou nada realmente poderá mudar. Se o golpe militar falhar, o Presidente e o Congresso continuarão cumprindo com seus deveres normalmente. Se, contudo, o golpe militar for um sucesso, as coisas deverão mudar significativamente.

A vida sob uma Ditadura

Os Ditadores possuirão praticamente todo o poder de um país. Ele poderá passar qualquer lei. Existem apenas duas leis que os Ditadores não poderão iniciar: uma lei mudando a mensagem dos novos cidadãos e uma lei para a retirada do Presidente.

De toda forma, o Ditador poderá iniciar qualquer outra lei e ele ou ela será o único a votar essas leis. 24 horas serão ainda requeridas para adotar uma lei. Este prazo de 24 horas será mantido para assegurar um equilibro no jogo, e para evitar a quebra de mecânicas do jogo, como a lei sobre pacto de proteção mútua.

O Presidente e os Membros do Congresso não perderão suas posições oficialmente, no entanto, eles estarão sem qualquer poder enquanto o Ditador governar o país. Os Congressistas e o Presidente não poderão propor ou votar leis, ou mesmo emitir cidadanias. O Presidente também perderá seu controle sobre guerras, campanhas etc. Resumindo, as funções e as posições deles são meramente ilustrativas.

Novas eleições serão realizadas normalmente, mas nenhum ouro será concedido aos eleitos para o Congresso ou para a Presidência.

Cidadania

Um Ditador terá direito 50% da quantidade original de passes de cidadania aos quais o Congresso Nacional tem direito durante seu mandato. Essa quantidade é assegurada ao Ditador, ainda que o congresso gaste a maior parte ou todos os passes que lhe são assegurados. As cidadanias concedíveis serão reiniciadas após as eleições para o Congresso.

Por exemplo, o Congresso da Icon-Bulgaria.png Bulgária podia emitir 50 cidadanias. No dia 10, eles emitira 40 destas. Um Ditador então tomou o poder no dia 11, e teve acesso a 25 concessões de cidadania, o que é 50% do número original. Se o Ditador foi subjugado após emitir 23 cidadanias, o Congresso retornou e ainda teve direito a emitir as 10 restantes de sua parte. Já no caso de outro Ditador tomar o poder, durante o mesmo mandato do congresso, ele poderia emitir apenas 2 cidadanias, pois o Ditador anterior concedeu 23 das 25 reservadas aos Ditadores.

Ditadores podem aprovar pedidos de cidadania mesmo que o país não tenha um congresso, desde que haja concessões restando do mandato anterior. Para aprovar um pedido de cidadania, o ditador deve estar localizado em seu país.


Os Ditadores poderão aprovar pedidos de cidadania, mesmo que o país não tenha um congresso, desde que haja concessões restando do mandato anterior[1][2]. Para aprovar um pedido de cidadania, o ditador deverá estar localizado em seu país.

Organização

Normalmente, os Presidentes controlam toda as organizações nacionais. O Presidente poderá requisitar mudanças nos e-mails dessas organizações através do envio de uma mensagem oficial para o Suporte do Jogo. Assim, como o presidente perde o poder quando o Ditador está na presidência, o Ditador passará a ser o encarregado das organizações nacionais. Quando o Ditador assumir o poder, ele ou ela poderá enviar uma lista, para o Suporte do Jogo, com as organizações que desejaria ter acesso e desejaria fornece novos e-mails para cada uma dessas organizações. O Ditador não poderá, porém, requisitar uma lista das organizações nacionais. Ele precisará usar outros meios para conseguir o ID dessas organizações pertencentes ao país em questão.

Outras informações importantes

1. Durante uma campanha em prol do golpe militar, o Presidente ainda está encarregado das organizações nacionais. Até este momento, o resultado dessa luta será incerto e o Presidente poderá tecnicamente fazer qualquer coisa com os ativos (dinheiro, itens etc) que as organizações têm. O Presidente poderá doar, vender, proteger o dinheiro e as outras propriedades de qualquer maneira que ele ou ela desejar, e fazer qualquer coisa que ele ou ela almejar.

2. Se a campanha pelo golpe terminar em favor dos atacantes e o Ditador tomar o poder, a posse de todas as organizações nacionais serão transferidas para o Ditador. O Ditador poderá obter o acesso a essas organizações nacionais enviando uma lista, para o Suporte do Jogo, com as organizações que desejara ter acesso. Um novo e-mail terá de ser fornecido para cada uma dessas organizações. Nós iremos, então, mudar o e-mail e o Ditador poderá conseguir o acesso usando o recurso “esqueci a senha”.

Enquanto o Presidente ainda for capaz de acessar as organizações, por algum tempos antes da mudança dos e-mails, o mesmo não terá direito de praticar qualquer ação nestas organizações se o Ditador estiver no controle do país. Essa ações incluirão, mas não estarão limitadas a, doar qualquer ativo de uma organização, vender produtos ou fazer trocas no mercado monetário. Se alguma dessas ações for feita quando o Ditador estiver no controle do país, todos os atos serão revertidos e o Presidente deverá ser penalizado.

3. Se o Ditador está no poder e se encontra em curso uma revolução (incluindo as 3 horas da fase de preparação), o Ditador deverá evitar a tomada de qualquer decisão sobre as organizações. Essas ações incluirão, mas não estarão limitadas a, doar qualquer ativo das organizações, vender produtos ou fazer trocas no mercado monetário. Se a revolução for um sucesso, todas os atos serão revertidos e o Ditador deverá ser penalizado.

Por favor, note que as organizações adquiridas por unidades militares, em um Torneio de Unidade Militar, continuarão sendo propriedade das unidades militares. Assim como os Presidentes, essas propriedades serão intocáveis para o Ditador.

Revolução – Fase de preparação

Revoluções são campanhas promovidas contra os Ditadores e seus apoiadores, destinadas a restaurar a democracia em um país. A revolução poderá ser iniciada por um comandante de uma unidade militar. A unidade militar precisará estar localizada no país onde o Ditador está no poder. Os seguintes requerimentos terão de ser atendidos para se dar início a um golpe militar:

  1. 1,000,000 ou mais de moedas na conta da unidade militar (o valor inicial).
  2. O país ter ao menos uma região restante.
  3. A capital atual não estar sob ataque.
  4. O Ditador precisa estar no poder por pelo menos 3 dias consecutivos.
  5. Não ter havido uma revolução nos últimos 3 dias.

Da mesma maneira que nos golpes militares, se todas as condições forem cumpridas, 1,000,000 serão deduzidas da conta da Unidade Militar e um “período de apoio” começará. Esse período durará 3 horas, durante o qual outras unidades militares poderão apoiar a revolução. A decisão de apoiar estará nas mãos dos comandantes, sendo livre a ação de apoiar. Se a unidade militar não der seu suporte a revolução, ela estará automaticamente preparada para lutar pelo ditador e contra os perpetradores da revolução.

A Campanha pela Revolução

O lado da revolução em uma batalha campal estará marcado com duas espadas azuis quebradas.

Após as 3 horas do período de apoio, a campanha pela revolução será iniciada na capital do país. Teremos então dois lados: - O lado atacante: São os apoiadores da revolução. Todos os civis com cidadania do país, e os membros das unidades militares que deram seu suporte a revolução durante o período de apoio. - O lado defensor: São os apoiadores do Ditador. Todos os membros das unidades militares que não deram seu suporte a revolução durante o período de apoio.

Para lutar em uma campanha pela revolução, os jogadores terão de estar localizado na capital do país e ser parte de um dos lados mencionados. Mudanças de localização, de cidadania ou de unidade militar poderão ser feitas durante uma campanha pela revolução. Em outras palavras, jogadores serão livres para deixar ou se juntar as unidades militares que eles quiserem, ou livres para mudar suas cidadanias, podendo dessa forma lutar do lado que eles desejarem.

As campanhas por revoluções funcionarão da mesma forma que as campanhas normais: 94 pontos são requeridos para uma vitória. A única diferença grande aqui, como mencionado acima, é que nem todo mundo pode lutar nesta campanha.

Se a lado atacante vencer, revolução sairá vitoriosa e a democracia será restaurada. Isso significa que o Ditador será deposto e tanto o Presidente quanto o Congresso terão seus poderes restaurados. Se o lado defensor vencer, o Ditador permanecerá no poder. Outra revolução não poderá ser iniciada nos próximos 3 dias.

Novas Conquistas e Condecorações

Conquistas

Condecorações

Financiando os golpes militares e as revoluções

Se dinheiro ilegal for utilizado para financiar um golpe militar ou uma revolução, a equipe do eRepublik se reservará no direito de reverter a Ditadura e penalizar as partes envolvidas. Todos os comandantes das unidades militares iniciantes do golpe militar ou da revolução serão sempre responsabilizados por suas ações, e pelo dinheiro nas contas de suas unidades. Se alguém doar uma larga quantidade suspeita de dinheiro para uma unidade militar, e você não está certo se esse dinheiro é limpo ou não, por favor, nos envie uma mensagem oficial para evitar problemas!

Determinação

Similar ao bônus de determinação em guerras de resistência, haverá um bônus de determinação para revoluções contra ditaduras, embora este aumente bem mais rápido do que a determinação de resistência. Os números exatos ainda não foram publicados, mas até o momento observou-se:

  • Após o ditador estar no poder por 16 dias, a determinação pela revolução será de 1.51.
  • Após o ditador estar no poder por 31 dias, a determinação pela revolução será de 2.09.
  • Após o ditador estar no poder por 33 dias, a determinação pela revolução será de 2.14.
  • Após o ditador estar no poder por 38 dias, a determinação pela revolução será de 2.34.
  • Após o ditador estar no poder por 42 dias, a determinação pela revolução será de 2.63[3].
  • Após o ditador estar no poder por 43 dias, a determinação pela revolução será de 2.7.
  • Após o ditador estar no poder por 45 dias, a determinação pela revolução será de 2.83.
  • Após o ditador estar no poder por 51 dias, a determinação pela revolução será de 3.4.
  • Após o ditador estar no poder por 58 dias, a determinação pela revolução será de 3.81.
  • Após o ditador estar no poder por 65 dias, a determinação pela revolução será de 4.52.
  • Após o ditador estar no poder por 66 dias, a determinação pela revolução será de 4.62.
  • Após o ditador estar no poder por 84 dias, a determinação pela revolução será de 6.28.
  • Após o ditador estar no poder por 96 dias, a determinação pela revolução será de 7.26[4].
  • Após o ditador estar no poder por 105 dias, a determinação pela revolução será de 8.16[5].

Importantes pontos para observar

  • Quando um Ditador tomar o poder em um país, a cidadania dele ou dela será automaticamente mudada para corresponder ao país onde ele ou ela estiver no controle.
  • Durante uma ditadura, eleições ainda serão realizadas. No entanto, os Presidentes e Congressistas recém-eleitos não irão ter nenhum poder até que a democracia seja restaurada. Quando eleitos, eles também não receberão qualquer ouro por suas medalhas de Congressista ou Presidente.
  • Lutando em um campanha pelo golpe militar ou pela revolução, você receberá 10% a mais de pontos de patente.
  • Lutas em um campanha pelo golpe militar ou pela revolução, não contarão para as medalhas Verdadeiro Patriota, Mercenário e Combatente da Liberdade.
  • Se o Ditador passar para outro jogador o cargo de comandante da Unidade Militar, o status de Ditador será repassado também.
  • O Ditador poderá se candidatar e ser eleito em qualquer tipo de eleição.
  • Um Ditador não poderá começar uma revolução.
  • Se um Presidente de um país X realizar um golpe militar bem-sucedido no país Y, ele ou ela se tornará um Ditador e automaticamente perderá a cadeira de presidente no país X, como se ele ou ela tivesse sido retirado.
  • Se um membro do congresso realiza um golpe militar vitorioso no mesmo país em que ele ou ela é congressista, ele ou ela permanecerá no congresso.
  • Se um membro do congresso do país X obtiver sucesso em golpe militar em outro país, ele ou ela perderá sua posição de congressista.

Perguntas Frequentes

  • P: Se eu começar uma revolução e entregar o comando de unidade militar para alguém antes da revolução terminar, quem irá receber a medalha no caso de sucesso?
    • R: A medalha do Libertador será dada ao cidadão que estava no comando no final da revolução.
  • P: O que acontece com a votação de uma lei, se ela ainda continua após o final de um golpe vitorioso?
    • R: Se o ditador votar, o voto dele determinará o resultado. Se ele não votar, o resultado será determinado pelos votos lançados antes do golpe.
  • P: É necessário começar um novo golpe para cada jogador que deseja obter uma medalha de Ditador Estagiário, ou esta pode ser auferida pela mudança de comando também?
    • R: Cada ditador receberá uma medalha de Ditador Estagiário após 10 dias consecutivos no comando do país, não importando se ele é o comandante original da unidade que iniciou o golpe.
  • P: É possível obter uma quantidade ilimitada de passes de cidadanias através da mudança de comando?
    • R: Não, a quantidade de cidadanias concedidas por cada novo ditador será deduzida do número total de passes que um Ditador pode fornecer.
  • P: Pode o ditador mudar a cidadania dele ou dela?
    • R: Não. Assim como o presidente, o ditador não pode mudar para outra cidadania.
  • P: É possível ter duas campanhas pelo golpe militar, ou pela revolução, em um mesmo país, ao mesmo tempo, e promovidas por dois potenciais ditadores diferentes?
    • R: Não. Pode haver apenas 1 golpe ou revolução por vez.
  • P: Se o país é conquistado, a ditadura termina?
    • R: Não, o Ditador permanece no comando da mesma maneira que o presidente permaneceria.
  • P: Os Presidentes podem apontar títulos políticos do país enquanto o ditador possui o poder?
    • R: Não, mas o Ditador pode.
  • P: Como eu posso ver quais unidades militares apoiaram o golpe ou a revolução?
    • R: Haverá um banner na página inicial onde você pode ver os apoiadores, se você está na região onde o golpe ou a revolução foi iniciado.
  • P: Posso sair da unidade militar, se eu sou o ditador e o único membro da unidade?
    • R: Não é possível sair, se você é o único membro da unidade. Você precisa convidar ou permitir que outro cidadão entre na unidade, fazendo-o comandante antes de se retirar.

Veja também