Partido Democrata Brasileiro

From eRepublik Official Wiki
Jump to: navigation, search
Languages: 
EnglishIcon-English.png
PortuguêsIcon-Portugal.png
Portugues BrasileiroIcon-Brazil.png


Partido Democrata Brasileiro

Unknown Party

General information
Country Flag-Brazil.jpg Brazil
Abbreviation PDB
Political
President Ayato
Members 467
Congress 7 cadeiras
Orientation Centro-direita
Ideology Libertário

Partido Democrata Brasileiro é o maior partido político do Brazil.


Contents

Apresentação

O PDB é um partido politicamente posicionado como Centro-direita.

É um partido que defende o livre comércio com a interferência moderada do governo na economia, apenas onde esta necessita de um apoio.

Como também não poderia deixar de ser, o PDB defende os brasileiros, independente de partido, seja com a luta por salários justos, seja com a defesa das empresas nacionais.

O PDB é um partido que acredita em um Brasil grande, em um Brasil ativo e em um Brasil forte a ponto de ser respeitado, e por que não, temido por seus inimigos.

O PDB é um partido que acredita piamente na democracia, e como tal é hoje um dos partidos mais abertos do Brasil, nele qualquer pessoa tem voz, basta querer falar. Aqui não há as "panelinhas" que caracterizam a liderança da maioria dos demais partidos, aqui, qualquer comentário é analisado e discutido, avaliado e considerado.

Qualquer pessoa pode liderar o partido, nossa história prova isso: tivemos um presidente do partido, que depois se tornou presidente do Brasil que passou a fazer parte dos nossos quadros apenas no quarto mês de existência do partido, ou seja, quando o partido já estava consolidado.

Fomos o partido do poder, o PDB por vários meses já foi o partido com a maior bancada no Congresso Nacional.

Assim, o PDB é um partido atrás de grandes mentes políticas, pois tem certeza de que essas mentes, antes de mais nada, serão grandes mentes para o Brasil

História do Partido

A Criação

O PDB foi criado nos primeiros dias de junho de 2008. Seu nome seria inicialmente Partido Republikano mas, por questão de horas, outra agremiação registrou o nome antes.

Apesar de inicialmente ligado ao fórum hardMOB, sua matriz se reuniu, inicialmente, em espaços fora do fórum, onde as primeiras diretrizes foram discutidas. Estrutura básica, sugestões de nomes e posicionamento ideológico já eram debatidos em fóruns criados pelos próprios partidários.

Primeiros Movimentos

Dada a grande quantidade de participantes desde o seu princípio, a situação do Partido (ainda não registrado) era quase caótica, com muita divisão em torno das primeiras decisões tomadas. Dentre as decisões foi a escolha do primeiro presidente.

Por sistema de votação interna, o nome escolhido foi o hardmobiano Scott que, porém, alguns dias depois abriu mão da candidatura. Foi então decidido que o presidente do partido seria o cidadão Louis XIV (mais tarde chamado Donovan Ray) por ser o segundo colocado.

Tal decisão desagradou alguns PDBistas que abandonaram o partido por considerar esta uma decisão de força, não democrática. A argumentação dos que defendiam a candidatura de Louis XIV era que a eleição do partido se daria em 2 dias e que, portanto, não havia mais tempo para as infinitas discussões que persistiam.

Para piorar a situação, o PDBista junecaz descobriu doações estranhas ao candidato que, de alguma forma, apontariam para a criação de contas fakes, o que poderia vir a comprometer a imagem do partido logo na sua entrada no e Brasil. Um grupo de investigação foi aberto e nunca se provou fraude a respeito.


Presidentes do Partido

Gestão Louis XIV (jun/jul 2008)

Apesar de todas as dificuldades, nas eleições do dia 15 Louis XIV foi eleito o primeiro Presidente do PDB, criando na prática o partido que, na seqüência, foi pacificado.

Louis XIV foi o primeiro candidato oficial do Partido à Presidência da República, perdendo as eleições por pequena margem para o candidato da situação Hoffzin, tendo porém, em sua gestão, alcançado as duas primeiras Prefeituras do PDB: Curitiba e São Paulo (cidades que até o fim do cargo de prefeito sempre foi administrada por PDBistas)


Gestão Colher (julho/agosto 2008)

Foi na gestão do Colher que o PDB passou a ser, pela primeira vez, o maior partido do país, com uma certa vantagem sobre a USB e o PRB.

A eleição do PDBista Colher se deu de maneira mais pacífica que de seu antecessor, porém não sem percalços. O candidato foi eleito com a principal plataforma de integração do partido tanto no âmbito interno, como na comunidade ER.

A quase-eleição de Louis XIV acirrou os ânimos contra o PDB logo no início da gestão Colher e sua participação nos comentários de vários jornais do período foram a marca registrada de sua atuação em favor do PDB.

No período Colher, o ER passava por uma grande turbulência, com inúmeros banimentos por contas fakes, nenhum deles de membros do PDB. Coube ao presidente do partido mostrar ao eBrasil que o partido extrapolava o espaço do fórum e, mais do que isso, que estava totalmente à parte das irregularidades que faziam dizimar a população brasileira em função dos banimentos.

Em sua gestão foi realizada uma coligação para a eleição do Tex em oposição ao Bunaly.

Gestão Olorum (agosto/setembro 2008)

A marca da administração da gestão Olorum foi a organização e a grande fluência política.

A Gestão do Olorum, sedimentou a posição do PDB como maior partido do país, que passou a ter mais membros que a USB e o PRB juntos.

Olorum, apesar de contestado, por vezes, por sua maneira pouco diplomática, sempre teve amplo acesso a diferentes vertentes políticas do eBrasil e grande trânsito tanto dentro do partido como em outros grupos do ERepublik. Acumulando grande experiência tanto como Congressista, Presidente do Congresso e Prefeito de São Paulo - onde criou inovativas SOs para prestar serviços ao município, bem como a redução da carga tributária a zero em âmbito local - Olorum foi virtualmente aclamado como Presidente do Partido.

Ao contrário de seu antecessor, teve melhor relacionamento com o Presidente Tex Murphy, porém não o suficiente para manter sua bancada alinhada ao governo.

Prestou excelentes serviços ao Partido, comunicando-se pessoalmente com cada novo inscrito no PDB e seguiu o regulamento do partido à risca, sem tergiversar, respeitando datas e processos estabelecidos na antiga convenção de junho.

Exatamente por seu talento político conseguiu viabilizar a candidatura e a vitória do Presidente Giulliano, ainda que o mesmo estivesse disputando contra o veterano ex-Presidente Bunaly.

A presidência de Olorum marca outro fato fundamental da história do PDB. Olorum foi o primeiro presidente do partido sem raízes no fórum Hardmob, apesar de ter iniciado sua participação por meio das discussões naquele espaço.

Foi o responsável pelo início das coligações no eBrasil, onde foi firmado um acordo com o Sparta, a fim de que os dois partidos, PDB e DEM pudessem dominar as 5 prefeituras do país, domínio este que só não foi possível porque o Yugi conseguiu suspeitos 25 votos no final das eleições tirando a prefeitura de Curitiba das mãos de Raphael COrrea que liderava com larga vantagem.

Em sua gestão o partido apoiou a candidatura do Giuliano à presidência, o qual se mostrou vencedor nas urnas.

Gestão Raphael Correa (setembro/outubro 2008)

Com posição de maior partido no país, por larga margem, o PDB foi favorecido como sendo o partido da escolha dos novos jogadores. Sua posição forte no Congresso, com bancada quase majoritária, dava ao partido a possibilidade de se divulgar, mesmo sem esforços específicos para este fim.

Em sua gestão, o PDB apoiou o candidato à presidência do DEM, Sparta Kratos, que foi eleito.

Gestão Patrickccg (outubro/novembro 2008)

Patrickccg surgiu como salvador do partido de oportunistas com a chegada da V1.

A V1 mudou o sistema de eleição do presidente do partido, onde, em vez de simplesmente lançar seu nome completamente descompromissadamente, o candidato à presidência do partido agora deveria "doar" compulsoriamente 2 de ouro para as contas do partido, o que levou a alguns oportunistas a liderarem partidos importantes do eBrasil.

Poucos dias antes da eleição o PDB possuía apenas dois candidatos totalmente desconhecidos de qualquer debate do partido, tendo o Partickccg, na última hora, lançado sua candidatura e tendo sido eleito com larga maioria de votos.

Sua gestão foi marcada pelo apoio do partido à eleição e o primeiro mandato do presidente Sparta Kratos.

Gestão Timborium (novembro/dezembro 2008)

Sua eleição ocorreu como uma prévia da sua candidatura à presidência tendo sido o nome aclamado pelo partido para disputar a presidência do eBrasil, um desejo antigo do partido, bem como para contrapor o nome do Diego Kidi do Partido Republicano Brasileiro, que parecia a coligação natural a ser feita.

Foi o segundo candidato do PDB a concorrer à presidência do eBrasil, mas o primeiro a conseguir ocupar o posto máximo da política nacional.

Seu mandato na liderança do país foi marcado pela quebra do monopólio das estatais, permitindo o investimento estrangeiro no setor, bem como um aumento generalizado do salário do trabalhador, principalmente dos novatos, cujo salário para skill 0 saltou de uma média de 1,2 a 1,5 BRL pra 3 a 3,5 BRL dois meses depois.

Seu mandato também foi marcado pelo desfalque de 1.000 GOLD que o Andriolo, gestor da SAPEME, órgão destinado ao fomento empresarial, deu nos cofres públicos.

Não chegou a terminar seu mandato pois, por problemas pessoais, solicitou sua deposição, tendo sido o primeiro presidente deposto da história do país.

No partido, seu mandato foi caracterizado pela adaptação do partido à V1, tendo obtido uma vitória esmagadora do partido nas eleições para o congresso.

Gestão Raphael Correa (dezembro 2008/janeiro 2009)

O partido havia deliberado e escolhido o Colher como próximo candidato oficial do partido, no entanto, estava chegando o fim do prazo para término da propositura da candidatura e o Colher não havia posto seu nome na candidatura, tendo 4 pessoas desconhecidas disputando a presidência do partido, até que, do meio do nada, surgiu o Raphael Correa que veio salvar a presidência do partido de algum oportunista iraniano.

Gestão Thomazini (janeiro 2009/fevereiro 2009)

Em sua gestão propôs a fusão do DEM com o PDB, fusão esta que não ocorreu, pois o DEM preferiu fundir-se com o PANA, criando o PND.

Gestão Timborium (fevereiro 2009/março 2009)

Em sua gestão propôs uma maior definição ideológica do partido, deixando mais claro o posicionamento do partido.

Buscou também reviver ofórum do partido que estava meio parado, bem como buscou uma maior participação dos membros do partido na tomada de decisões deste, ao convidar os congressistas do partido a participarem dos debates que ocorriam no senate (fórum fechado do partido).

Gestão Raphael Correa (março 2009/abril 2009)

Utilizou um partido fortalecido e mais coeso para tentar eleger o manurc como presidente do país, o qual não foi possível, diante do apoio do Tex Murphy (presidente) ao seu adversário, Cavalcanti, que foi eleito presidente do país.

Fortelaceu ainda mais a coesão do partido diante da criação da ORG do partido, PDB News (http://www.erepublik.com/en/organization/1362357), bem como com a criação do jornal do partido, facilitando a comunicação com os demais membros do partido que não acessam o seu fórum.

Gestão Junecaz (abril 2009/maio 2009)

Junecaz assumiu a liderança do partido com a ideia de mudar a política brasileira a partir do PDB, para tanto realizou o cadastramento de todos os membros do PDB e enviou mensagens privadas a todos conclamando-os a ter uma maior participação política no jogo, a começar dentro do partido.

Com a ideia de tirar o grande número de desconhecidos que sempre se candidatavam pelo partido, junecaz selecionou apenas 12 candidatos que seriam apoiados pelo partido nas eleições ao congresso, conseguindo o fato inédito de eleger todos os 12, somando-se aos 4 extras que conseguiram se eleger, em seu mandato consta o recorde de congressistas eleitos pelo PDB, 16 em uma mesma votação.

Além disso, organizou a candidatura do Darkvenom, que foi o segundo presidente do eBrasil a ser eleito pelo PDB.

Além do fórum hardmob, e da ORG PDB News, criada pelo seu antecessor, junecaz ainda fez largo uso do #PDB dentro do programa irc a fim de dar maior celeridade aos movimentos do partido.

Todas essas mudanças surtiram efeito, fazendo com que, além dos resultados nas urnas obtidos, o partido angariasse novos membros, passando de 256 membros, nos quais estava estagnado há meses, para a impressionante marca de 317 membros.

O lema da sua gestão foi: PDB ROLO COMPRESSOR MODE: ENABLE

Gestão Junecaz (maio 2009/junho 2009)

Mantendo a boa gestão deu seguimento à solidificação do #PDB como um meio de comunicação mais ágil do partido e, nas eleições ao congresso bateu novo recorde, conseguindo eleger 18 congressistas para o PDB.

Dando seguimento à ampliação da base eleitoral do partido, conseguiu atingir a marca de 385 membros.

O lema da sua gestão foi: PDB ROLO COMPRESSOR MODE: STILL ENABLE

Gestão Raphael Correa (junho 2009/julho 2009)

Apareceu mais uma vez como salvador da pátria, evitando que o partido fosse liderado por algum gringo.

Durante sua gestão foram criados vários outros países na América do Sul, tais como a Colômbia, Bolívia, Uruguai, Paraguai e o Peru.

Como muitos destes países não possuem membros ativos no eRepublik alguns membros do PDB decidiram por "colonizar" um deles e criar a PDBlândia.

Todavia o projeto falhou por divergências quanto ao país a ser colonizado, Paraguai ou Uruguai, bem como pelo receio de um Takeover político no Brasil que seria realizado pelos sul-africanos.

Durante eu mandato foi eleito o terceiro presidente PDBista, Junecaz.

Gestão FenixFAB (julho 2009/agosto 2009)

Sua gestão foi marcada pela tentativa de Take Over no congresso brasileiro gerando um esforço conjunto de todos os partidos para derrotar o Brazil Supporting Freedom.

Essa campanha foi vitoriosa, mantendo-se o PDB, ainda, como partido com maior representatividade com 12 cadeiras.

Sua gestão findou com 447 membros.

Gestão Timborium (agosto 2009/setembro 2009)

Sua gestão foi marcada por um choque de atividade do partido, artigos de recrutamento foram postados, novos membros entraram no hardmob e muitos deles prometem figurar nesse texto como futuros líderes do partido.

Em sua gestão foi criada a "Promoção do Tubarão" visando incentivar a produção textual dos membros do partido, dando-lhes maior destaque no cenário nacional.

Para a corrida presidencial o PDB apoiou Reshev, o qual perdeu por uma diferença de apenas 4 votos.

Na disputa pelo congresso o PDB sofreu grande oposição da União Brasileira (9 cadeiras) e do Partido Nacional Democrata, com quem empatou na maioria do Congresso com 10 cadeiras.

Sua gestão findou com 454 membros.

Gestão hpina (setembro 2009/outubro 2009)

Foi seu 1º mandato. Não era nenhum expert em Senate. Admitiu que cometeu alguns pecados e disse que não foi 100%. Como presidente calouro assumiu que sua maior dificuldade foi lidar com todas as datas e eventos que o partido tem. Por isso, propôs aos colegas pdbistas que fosse feita com a ajuda de todos uma "Agenda do PDB". Nela estariam todos os compromissos regulares detalhados, de forma clara, rápida e objetiva. E de preferência fixada nos tópicos pinados.

Gestão Colher (outubro 2009/novembro 2009)

Gestão Phil McNamara (novembro 2009/dezembro 2009)

Gestão junecaz (dezembro 2009/janeiro 2010)

Gestão Rodrigo AM (janeiro 2010/fevereiro 2010)

Gestão Phil McNamara (fevereiro 2010/março 2010)

Gestão Vinícius_Santiago (março 2010/abril 2010)

Presidente do PDB com 603 votos (Recorde Nacional de votos).

Gestão asouza (abril 2010/maio 2010)

Gestão valdyjunior (maio 2010/junho 2010)

Gestão valdyjunior (junho 2010/julho 2010)

Gestão Ayato (julho 2010/agosto 2010)

Gestão Sulejmani (agosto 2010/setembro 2010)

Gestão junecaz (setembro 2010/outubro 2010)

Gestão EddieJoe (outubro 2010/novembro 2010)

Gestão Vinicius Santiago (novembro 2010/dezembro 2010)

Gestão asouza e Rafael Vaidotas (dezembro 2010/janeiro 2011)

Visto que ninguém se ofereceu e o Jan esqueceu de se candidatar, o asouza e Rafael Vaidotas decidiram fazer um mandato duplo. asouza (PP oficial ingame) e Rafael Vaidotas auxiliando no fórum e outros afazeres.

Gestão Kell_Tarras (janeiro 2011/fevereiro 2011)

Gestão Cavalcanti/Sulejmani(fevereiro 2011/março 2011)

Por motivos pessoais, deu resig do posto de PP do PDB. Assumindo, automaticamente, o maior xp do PDB: Sulejmani.

Gestão asouza (março 2011/abril 2011)

Gestão Wiisc (abril 2011/maio 2011)

Gestão Jan da Silva (maio 2011/junho 2011)

Gestão EddieJoe (junho 2011/julho 2011)

Gestão Ayato (julho 2011/agosto 2011)

Gestão Vinicius Santiago (agosto 2011/setembro 2011)

Gestão thiaggosilva (setembro 2011/outubro 2011)

Gestão EddieJoe (outubro 2011/novembro 2011)

Gestão Arcusgaldan (novembro 2011/dezembro 2011)

Gestão Trautmann K (dezembro 2011/janeiro 2012)

Gestão thiaggosilva (janeiro 2012/fevereiro 2012)

Gestão Trautmann K (fevereiro 2012/março 2012)

Gestão Sulejmani (março 2012/abril 2012)

Polêmica gestão pelo fato do esquecimento do PP em blockear candidaturas TOvers ao congresso. Culminando na eleição do EmperiorMarcus, gringosafado que aceitou diversas cidadanias de membros da Unidade Militar Romena: Nemesis, eCidadãos que dão dor de cabeça até hoje. Mas reforçou no eBrasil a união contra candidatos TOvers (congresso, PP, e CP).

Gestão Carol do Cerrado (abril 2012/maio 2012)

Gestão Jan da Silva (maio 2012/junho 2012)

Presidentes eleitos pelo PDB

Timborium (dezembro/08)

Foi o primeiro presidente eleito pelo PDB.

Com apenas 3 meses de jogo, foi escolhido no fórum do partido para contrapor o nome de Diego Kidi, do Partido Republicano, que veio pedir apoio do PDB à sua candidatura.

Foi o primeiro passo para uma mudança no posicionamento do PDB, de um partido que sempre tinha maioria no Congresso mas que nunca disputava a presidência, para um partido que mostrou que pode chegar ao cargo mais alto do país.

Sua principal proposta de campanha foi encerrar o monopólio que as estatais detinham no setor de matéria prima que havia sido imposto pelo Sparta Kratos, seu antecessor.

Com a abertura do mercado brasileiro às empresas estrangeiras, muitos postos de emprego foram criados e os salários foram impulsionados pelas crescentes exportações realizadas pelo Brasil. Apenas tomando por referência, em novembro, uma das principais discussões econômicas tratava-se exatamente do aumento do salário mínimo, pois a skill 0 tinha como melhor proposta 0,8 BRL. No final de dezembro já estava no patamar médio de 2,5 BRL.

Durante todo seu mandato recebeu forte oposição da USB, liderada por Toboco, que chegou a propor um impeachment, porém não foi aprovado pelo congresso.

Apesar disso, no meio de seu mandato teve problemas familiares e precisou pedir sua renúncia. Nesse momento de transição ocorreu o fato que veio a marcar o seu mandato: o furto de 1.000 GOLD das contas da SAPEME realizada pelo Andriolo.

Seu sucessor foi o seu ministro da defesa, Reshev Villanova.

Darkvenom (maio/09)

Junecaz (julho/09)

Seu governo foi marcado pela tranparência. Houve um esforço colossal do governo para que tudo que fosse feito fosse demonstrado à população.

Durante seu governo, conseguiu apaziguar os ânimos com os sul-africanos ao permitir que eles obtivessem uma de suas regiões (Limpopo) de volta, bem como permitiu que eles ainda reavissem uma segunda região (Free State), a qual, todavia, não havia sido devolvida até o fim do seu mandato.

Durante o seu governo também foram realizados os primeiros ataques às Ilhas Canárias (Espanha), sendo o primeiro ataque o mais controverso, pois inflamou a população ao combate e, no fim, a PEACE pediu que os esforços fossem direcionados a outro front, fazendo com que a população brasileira se sentisse enganada.

Ainda durante o seu governo o Chile e a Argentina tentaram invadir a Bolívia visando obter as regiões que detinham madeira e grãos em alta quantidade, o qual, nesse impasse, apoiado macissamente pela população brasileira, decidiu por defender a Bolívia levando à vitória desta, o que gerou um ressentimento por parte dos chilenos que se sentiram traídos por seus aliados brasileiros.

Tubarões

Durante a disputa presidencial de agosto 2009 o PDB, ao se manifestar neutro na disputa entre Reshev e Nosrial, suscitou um comentário do primeiro, o qual chamou os líderes do partido de "Tubarões".

O apelido foi bem recebido pelo partido que decidiu adotá-los, elegendo mensalmente o Tubarão do partido, como sendo aquele membro de maior destaque no mês.

Tubarão de agosto 2009 - Andman

Sob a indicação do Phil McNamara, Andman foi eleito Tubarão do mês de agosto por sua coragem enquanto Ministro da Fazenda durante a presidência do Nosrial.

Observando que o presidente estava muito ausente e que tinha entregue as senhas das ORGs públicas a muita gente, o ilustre Tubarão, vislumbrando um terreno propício ao peculato, chamou a responsabilidade pra si, mudou todas as senhas, tirando o poder do presidente e provocando o impeachment deste.

Inicialmente foi muito criticado por seu ato, considerado um Golpe de Estado, mas hoje, vislumbrando o contexto inserido, seu ato é reconhecido como um ato que salvou os cofres públicos de um possível grande desfalque.

Somado a isso, ele movimentou internamente o partido, ressuscitando grandes nomes da origem do partido cujos personagens tinham morrido, como o Louis XIV, que foi o primeiro presidente do partido.